São Pacômio

pacomio

Pacômio nasceu em 287 no Egito, filho de pais pagãos. Tendo ingressado no exército, aos 20 anos foi feito prisioneiro em Tebas. Numa noite, algumas pessoas trouxeram para ele alimento em nome do Deus dos cristãos.

Pacômio sentiu-se sensibilizado e pediu a Deus que o libertasse. Obtida a liberdade, ingressou numa comunidade religiosa cristã, onde recebeu o batismo. Ao perceber a força do cristianismo, Pacômio introduziu a vida monástica comum baseada na disciplina e na autoridade, substituindo os anacoretas.

Os anacoretas eram os monges que viviam sozinhos no deserto. Os problemas desta vida individualizada começaram a se tornar insustentáveis. Pacômio resolveu fundar um mosteiro, com regras definidas, onde todos pudessem viver em comunidade.

O mosteiro tinha uma estrutura rígida, baseada na disciplina e na obediência. Era formado por vários edifícios ou casas, construídas dentro de muralhas. Havia também uma igreja, um refeitório, uma cozinha, uma hospedaria e uma biblioteca. A base da vida religiosa era constituída pela castidade, pobreza e obediência. Pontualidade, silêncio, disciplina, recitação de preces, algumas penitências, tudo isso fazia parte do dia a dia de um mosteiro.

São Pacômio morreu em 348, Na época os mosteiros por ele fundados abrigavam cerca de sete mil monges.

 

Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR

 REFLEXÃO São Pacômio é considerado o fundador dos mosteiros. Sua vida foi dedicada a organizar a vida comunitária, equilibrando oração, trabalhos e estudos. Graças a ele, a vida cristã cresceu fortemente em todo o mundo e até hoje temos o testemunho de muitos monges santos que nos ajudam a aproximar de Deus. Rezemos hoje por todos os homens e mulheres que, nos mosteiros, rezam e trabalham para a construção do Reino de Deus.

ORAÇÃO Mesmo não tendo a dignidade dos santos, intercedei por nós, são Pacômio, para que fiéis a doutrina da Igreja possamos ser orientados pelo Espírito Santo em todas nossas decisões. Concedei-nos a pureza da vida, da mente e do espírito, o dom da oração e da penitência, da obediência e da fortaleza. Assim seja!